Portuguese English Spanish

Após um fim de semana incrível em Andorra, cheguei à Suíça mais motivada do que nunca para buscar mais um top 15 em WC, ou até algo melhor.

Nesta etapa, o percurso é 100% força e técnica. Somente uma subida longa e o restante da pista exige muito preparo físico e técnica apurada. A pista é repleta de raízes que ficaram mais escorregadias com a chuva e o uso intensivo. Os treinos foram muito bons e consegui encontrar um setup que funcionou muito bem para a minha Mondraker Podium FS. Escolhi pneus Maxxis Ikon Exo 2.2, com calibragens mais baixas devido às características da pista, buscando maior aderência nas partes cheias de raízes. Corri com 15psi na roda dianteira e 18psi na traseira. Novamente, optei pela coroa 30t Rotor Q-ring no meu pedivela Rotor Rex 1.1 inPower. Os freios foram muito importantes nesta prova e os discos da Galfer cumpriram sua missão com precisão indescritível.

O tempo estava muito instável e a previsão mostrava 50% de chance de chuva no domingo. No Sábado à noite, choveu forte e resolvi não me preocupar e dar o meu melhor, com ou sem chuva. O Domingo amanheceu nublado e, após 50 min. de aquecimento, lá estava eu alinhada para 7 voltas. Novamente aquela música e o público batendo nas grades subiram a adrenalina. A largada abria para uma estrada estreita e uma curva logo de cara, a menos de 300 metros do pórtico, o que causou várias quedas e toques de guidão. Fiquei muito insegura na largada com as fechadas e toques que levei. Não consegui fluir na primeira subida e acabei pegando um tráfego enorme no início da primeira descida técnica. Para piorar, acabei caindo na segunda seção técnica. Escorreguei nas raízes e caí sobre a bike, virando a roda para um lado e o guidão para o outro. Perdi muito tempo e fechei a primeira volta na 52ª posição, quase 2 minutos e meio atrás da líder.

Quando passei pela feed zone e vi as feições de frustração na minha equipe, aquilo não me derrubou, ao contrário, recuperei a concentração e disse para mim mesma: Agora é hora de recuperar, focar na prova e errar o mínimo possível para buscar o máximo de posições possível. Coloquei a faca entre os dentes e fui para cima. No meio da prova, o meu chefe de equipe avisou que reduziram uma volta em função das condições da pista e me mandou dar tudo que tinha. Abri a última volta na 25ª posição e consegui fazer o meu melhor tempo, recuperando mais 5 posições e chegando na 20ª colocação.

O meu objetivo era conseguir mais um Top15 ou até algo melhor, mas fiquei muito feliz e satisfeita com o meu desempenho naquela pista tão desafiadora. Saio desta prova confiante e motivada para os próximos desafios. Agora de malas prontas, terei uns dias em minha casa no Brasil para recarregar as energias. Depois, sigo para o Espírito Santo para defender o meu posto de Campeã Brasileira. A seguir, rumo ao Canadá para a 5ª etapa da WC, em Mont Sainte Anne. Só tenho a agradecer à minha equipe PMRA Racing Team por todo o suporte e por tornar esse sonho real para mim. Agradeço também a todos que estavam torcendo por mim, meu treinador Victor Rodríguez, meu coach Flávio Magtaz e minha família.

“Andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar.”

#TIMERAIZA Raiza Goulão

 

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.