Portuguese English Spanish

Minha última parada antes das Olimpíadas não poderia ter sido em outro lugar a não ser o Canadá, onde tudo começou para mim.

Passei uma semana ao lado de minha grande amiga, Jaqueline Mourão. Compartilhamos muitas experiências e, com certeza, recebi dela preciosas dicas com base nas 5 Olímpiadas das quais participou. Foi realmente uma semana incrível!

Após 2 meses na Europa, voltei ao Brasil e fiquei muito feliz em sentir o calor e o apoio da torcida. Nesta última semana, mantive foco total na recuperação, alimentação e boas energias para estar na melhor forma possível e defender o posto de campeã nacional.

Minha última prova na temporada da Europa foi uma estreia no circuito de Lenzerheide. Uma pista perfeita para a S-Works Era, com trechos velozes e repletos de raízes, sem contar os drops insanos! Apesar de ter poucas subidas, a prova foi muito mais exigente do que eu imaginava, pois ficamos quase o tempo todo fazendo força, sem trechos para recuperação.

Uma semana em que tudo caminhou perfeitamente, com treinos muito bons, metas atingidas, boa adaptação ao percurso, alimentação perfeita e equipamento revisado e ajustado às condições da prova.

Apesar de um estresse antes da prova, quando percebi a necessidade de uma troca de pneu e comprometi um pouco o meu aquecimento, vejo que foi uma decisão acertada, pois a pista se mostrou bem cruel com outras atletas que perderam seus lugares no pódio devido aos pneus. Larguei na segunda fila, mas não estava 100% aquecida e optei por um ritmo mais conservador durante o start loop, caindo para a 35ª colocação.

No dia 19 de junho, participei da prova KMC Race, de classe HC, na Alemanha. Após duas semanas e meia de treinos em Livignio, Itália, já era hora de voltar ao ritmo de provas.

A KMC Race entregou aos competidores um percurso com o qual eu não estava muito bem ambientada. As condições climáticas não eram as mais favoráveis antes e durante a prova. Larguei às 13 horas para 5 voltas no percurso de 4,5 km, que era composto por uma subida longa, uma seção de down Hill e muita, mas muita lama mesmo! As voltas exigiram um considerável nível técnico dos atletas; na subida, devido à minha escolha errada de pneus, acabei perdendo muito grip (tração). Assim, acabei gastando mais energia para manter a bike na trilha. Na descida a atenção foi redobrada para não sofrer com uma queda e por minha prova por água abaixo.

Muitos me perguntam como consegui evoluir tanto desde que entrei para a equipe Specialized Racing BR. Aproveitei a quinta-feira tranquila para filosofar sobre o assunto e cheguei a uma conclusão: Certamente foram muito importantes os programas de treinamentos passados pelos meus técnicos, o equipamento top, toda a estrutura disponibilizada, bem como minha dedicação e disciplina. Entretanto, o fator mais importante do sucesso foi a soma da minha vontade de aprender com a abundancia de conhecimentos que me foi ofecerecida pelas oportunidades que cruzaram o meu destino.

Uma prova que marcou o fim e o início de ciclos: A segunda etapa da Copa do Mundo de MTB foi a última grande oportunidade para conquistar pontos para a corrida olímpica. As vagas estão praticamente decididas e muitas federações usaram a prova como uma das seletivas. A CBC optou pelo critério que concede as vagas aos atletas que mais acumularam pontos no período de 25/05/2014 até 25/05/2016, e concluo essa longa jornada como a melhor atleta e pontuadora do país, com 1967 pontos acumulados.

Após um mês de treinos específicos acompanhados por minha equipe técnica (treinadores: Tjeerd de Vries e Leo Van Zeeland, fisioterapeuta: Rafael Gomes, nutricionista: Patricia Betolucci e coach: Flavio Magtaz), estou de volta à temporada de competições. Pude me despedir da temporada da América do Sul em grande estilo: uma bela vitória na CIMTB.

Página 4 de 10